domingo, 23 de abril de 2017

Arronches - ArJovem nova Associação de Jovens apresenta-se em festa


A ideia de criar a “ArJovem”, partiu de um grupo de amigos residentes no concelho de Arronches, que achavam existir uma enorme lacuna no que toca à dinamização dos jovens do concelho.

Reuniram-se e começaram a tratar dos aspectos legais, tais como elaborar os Estatutos da Associação e solicitar o Certificado de Admissibilidade.

Segundo os promotores desta nova Associação Arronchense, “Pretendemos então utilizar a nossa força e o nosso espírito empreendedor para promover atividades de cariz social, cultural e desportivo em conjunto com outras entidades concelhias”.

Referindo ainda “queremos divulgar todas as atividades em que estamos presentes bem como aquelas que iremos desenvolver. Esperamos ter da vossa parte uma boa adesão e que as vossas expetativas em relação à nossa Associação nunca sejam defraudadas”.

A apresentação pública da “Arjoem”, vai acontecer na noite de segunda-feira, dia 24, com a "Festa Glow Party" , animada pelo   Dj Wiil, no Bar o Casão, com algumas surpresas.


sábado, 22 de abril de 2017

Arronches – Já arrancaram as obras do futuro Centro Interpretativo da Ruralidade

Com o objetivo de dar a conhecer e relembrar o funcionamento do quotidiano agrícola de outros tempos no Alentejo, o espaço, do antigo Lagar de Azeite, do Porto Manes, depois de recuperado, irá dar lugar ao futuro Centro Interpretativo da Ruralidade, para albergar um vasto espólio de peças e máquinas agrícolas, devidamente restauradas, cujo funcionamento irá ser explicado com auxílio da tecnologia, não descurando a experiência de quem laborou noutro tempo e que certamente se recordará, com nostalgia, da história de uma vida dedicada ao campo.

Assim, dando início a esta nova fase do processo na qual terá lugar na intervenção no terreno, a presidente do Município de Arronches, Fermelinda Carvalho e o presidente do Conselho de Administração do grupo "Construções J.J.R. & Filhos, S.A.", José Rodrigues colocaram o preto no branco e assinaram o contrato que oficializa a ligação entre as partes, com a adjudicação da empreitada.

O projeto, que conta com uma comparticipação de fundos comunitários de 85%, irá significar o investimento por parte do Município de Arronches da quantia de 867.480,19€, valor no qual já está incluído o Imposto Sobre Valor Acrescentado.

As recuperação, ampliação e adaptação do antigo lagar de Arronches, arrancaram nos últimos dias.
Fotos: Emílio Moitas 










Arronches – Torneio de Malha da JF. Assunção


É já n próxima terça-feira dia 25 de Abril, que vai decorrer em Arronches a partir das 09h00, no antigo Campo de Futebol do Rossio o Torneio de Malha. Trata-se de um Torneio convívio integrado nas comemorações do feriado do 25 de Abril, organizado pela Junta de Freguesia de Assunção que conta com o apoio da Associação de Jogos Tradicionais do Distrito de Portalegre, Município de Arronches e diversas empresas sediadas no concelho.

O Torneio termina com a entrega de troféus e um almoço convívio no complexo “Os Celeiros”.

O JOGO DA MALHA
O jogo da malha é um jogo tradicional jogado por homens ou mulheres e consiste no seguinte:

Numa pista de terra batida com cerca de 20 metros de comprimento colocam-se nos extremos os "belhos" que são feitos de pau com cerca de quinze centímetros de altura, seis de diâmetro e afiados no topo superior, são colocados na vertical. O objectivo dos jogadores que integram equipas de 3, 4 ou 5 elementos é derrubarem o belho, com uma malha ("bolacha" de ferro com cerca de 7 centímetros de espessura, 12 a quinze centímetros de diâmetro e com um furo no meio).


O derrube do belho vale três pontos, a malha que fica mais perto do belho ganha um ponto o jogo termina quando uma das duas equipas faz 60 pontos.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Arronches - Autarquia comemora 43º aniversário do 25 de Abril

O concelho de Arronches vai lembrar a Revolução dos Cravos na próxima terça-feira, dia 25 de Abril, com diversas actividades.

Numa iniciativa de índole cultural, com a qual a Câmara Municipal pretende assinalar o 43º Aniversário do chamado “Dia da Liberdade”.

Deixamos o Programa com actividades a realizar no concelho de Arronches.
Clicar no cartaz para ampliar
(Click image to enlarge)

Alburquerque - Carlos Pessoa “La realidad de los refugiados de la Guerra Civil en la frontera con Portugal”

“La problemática actual de los refugiados tiene una dimensión transnacional y sin una solución a la vista”.

El periodista portugués Carlos Pessoa fue el encargado de abrir las IX jornadas de Memoria de Futuro, en Alburquerque, dedicadas este año a la realidad de los refugiados de la Guerra Civil en la frontera con Portugal y los que sufren ese drama a diario.

Pessoa nos señalaba los paralelismos que pueden establecerse entre ambos casos, incidiendo en que la problemática actual de los refugiados hoy en día alcanza una dimensión transnacional y de momento parece que no hay una solución a la vista por parte de los gobiernos e instituciones competentes. El luso ha seguido tratando este tema ayer, dia 20, en el casino de Alburquerque,  junto a Virginia Domínguez, de la Plataforma del Refugiado y Andy Plaza, representante de la ONG andaluza Himaya.

La charla de dia 19 de abril,  tuvo lugar en la casa de la cultura, contó con buena acogida y abordó la historia de los refugiados de la raya hispano-lusa poniendo especial hincapié en la investigación de Pessoa sobre los hechos ocurridos en 1944 en la localidad de Campo Maior que terminaron con el desalojo de un campamento de refugiados de más de 200 personas huyendo del miedo a ser apresados y que resistían en la frontera manteniendo estrecho contacto con amplios lugares de la zona de Alburquerque. Si deseas conocer más sobre este caso, puedes hacerlo entrando en la: web del colectivo Memoria de Futuro.

Resto de actividades:

Sábado 22 de abril: “La república de Andorra”, ruta por Campo-Maior-Ouguela-Degolados. Se recorrerá la zona en la que se asentaban  los campamentos de refugiados que se denominaron la República de Andorra, un lugar que escapó al control de las autoriades de ambos países y que fue desalojado a finales de 1944. La ruta saldrá a las 11 de la mañana desde la Plaza de España.
Fuente/fotos: colectivo Memoria de Futuro
Apoio: Oficina de Turismo en Alburquerque



quinta-feira, 20 de abril de 2017

Monforte - Romaria à Senhora dos Prazeres revive tradição

Numa organização do Município de Monforte realiza-se este fim-de-semana a tradicional romaria à Senhora dos Prazeres, cujo dia grande é na segunda-feira, dia 24 de abril.

Em dia de feriado municipal em Monforte, e como é tradição, são centenas os romeiros que participaram neste evento que conta ainda com os carros de parelhas e carroças devidamente ornamentados, que saem logo de manhã da vila de Monforte em desfile etnográfico até à igreja dos Prazeres, situada a cerca de 8 km da sede do concelho.

Perde-se no tempo a origem desta romaria à Senhora dos Prazeres, venerada pelas gentes da região, com o primeiro testemunho documental referente à sua existência da romaria data do ano de 1758, realizando-se anualmente, na segunda-feira de Pascoela.

Após a procissão que habitualmente tem lugar ainda na parte da manhã, os romeiros juntam-se em redor da igreja para confraternizar o resto do dia, partilhando as merendas, numa festa campestre onde não falta o porco no espeto, bom tinto, muita música e tourada à vara larga ao final da tarde.
Fotos: E. Moitas



Bloco e PAN querem fiscalizar e proibir caça com matilhas em Portugal


Numa iniciativa conjunta trabalhada desde há vários meses entre o Bloco de Esquerda e o PAN, os partidos propõem proibir a utilização de matilhas de cães como meio de caça, estabelecendo que apenas as matilhas já existentes e devidamente legalizadas podem continuar a participar na atividade cinegética e impedindo o licenciamento de novas matilhas ou a adição de cães às já existentes.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, existem registadas em Portugal 792 matilhas, não havendo condições de contabilizar o número de matilhas ilegais. Neste processo de caça, os cães funcionam como arma usado contra o animal a ser caçado, isto porque é da luta entre os cães e a presa que resulta a morte ou quase morte desta. Esta situação consubstancia uma verdadeira incoerência legal, visto a luta entre animais já ser proibida em Portugal pelo Decreto-Lei n.º 315/2009, de 29 de Outubro.

O legislador considerou censurável a promoção de luta entre animais, designadamente entre cães, por concluir que a mesma é degradante para o ser humano e pode potenciar o carácter agressivo de determinados animais. "Então, tratando-se da luta entre um cão e um javali já é menos censurável? E se forem trinta ou quarenta cães contra um javali? Não cremos”, afirmam ambos os partido na exposição de motivos do projeto-lei.

Ainda segundo um dos promotores desta iniciativa conjunta, é urgente proceder à fiscalização das matilhas existente, incluídas as ilegais, tendo em conta que os animais que integram muitas destas matilhas de cães, sofrem maus tratos, presos em locais sem condições e em muitos casos passando fome.   

Este projeto-lei deu entrada na Assembleia da República juntamente com um conjunto de outras cinco propostas de alteração feitas pelo PAN ao regime jurídico da caça.
Fotos:Web