segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Arronches - Cães atacam e matam ovelhas na zona da Coutada


Dois cães de grande porte invadiram propriedades privadas e atacaram três rebanhos na madrugada de sexta-feira para sábado, dia 13 de janeiro, tendo provocado a morte a algumas ovelhas e ferido outras, na zona da Coutada, na freguesia de Assunção, no concelho de Arronches.

Um dos proprietários referiu que ainda avistou os cães na manhã do passado sábado, que acabariam por fugir á sua aproximação, lamentando ainda a morte das ovelhas, mas acreditando salvar os animais feridos com tratamento médico adequado.

Os agricultores receiam agora que os cães voltem a atacar durante a noite, provocando a morte a mais animais.  

Os três proprietários lesados por este ataque de cães supostamente vadios apresentaram queixa na GNR, que registou a ocorrência. 
Fotos: Emílio Moitas/Global News




Alentejo - Sismo de 4.9 em Arraiolos sentido em Arronches e Badajoz


Um sismo de magnitude 4.9 na escala de Richter, com epicentro perto de Arraiolos, esta segunda-feira cerca das 11h50, foi sentido com intensidade em Arronches e Badajoz.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o terramoto teve epicentro a 7 quilómetros de Arraiolos, no distrito de Évora: "O Instituto Português do Mar e da Atmosfera informa que no dia 15-01-2018 pelas 11h51 (hora local) foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente, um sismo de magnitude 4.9 (Richter) e cujo epicentro se localizou a cerca de 8 km a Norte-Nordeste de Arraiolos".

Ainda de acordo com a informação disponível, este sismo foi sentido em várias localidades, do Alentejo e da Extremadura espanhola, devendo em breve ser emitido novo comunicado com informação instrumental e macrosísmica atualizada", acrescenta o IPMA.

Em Badajoz na Biblioteca de la UEx, e um pouco por toda a cidade o sismo foi sentido com intensidade, como se pode constatar pelos inúmeros comentários publicados nas redes sociais.

"En la Biblioteca de la UEx se ha notado bastante, toda la gente nos hemos levantado con el movimiento progresivo del edificio y hemos salido a la calle sobresaltados.. una experiencia más".

Foto: Emílio Moitas

domingo, 14 de janeiro de 2018

Elvas reviveu este domingo a batalha que pôs fim á união ibérica há 359 anos

A cidade de Elvas voltou hoje, domingo, 14 de janeiro, a lembrar e homenagear os militares que participaram na Batalha das Linhas de Elvas em 1659, no decorrer da Guerra da Restauração, passados que são 359 anos.

As cerimónias militarem tiveram lugar pelas 11h00, na Praça da República e ruas envolventes, sendo as mesmas presididas pelo director da Direcção de História e Cultura Militar, o Major-General Aníbal Flambó, tendo contado com a presença da secretária de Estado Adjunta e da Justiça, Helena Ribeiro, Nuno Mocinha, Presidente da Câmara de Elvas, para além de outras individualidades, civis e militares.

Ainda no decorrer da manhã teve lugar a cerimónia de homenagem aos Mortos, com a deposição de flores no Padrão da Batalha das Linhas de Elvas e a deposição de flores no túmulo do General André de Albuquerque Riba-Fria, no Convento de São Francisco.
Fotos: Emílio Moitas/Global News

























sábado, 13 de janeiro de 2018

Avenida de Elvas condicionada ao trânsito por motivo de obras


A abertura de uma terceira faixa de rodagem, cujas obras têm início na próxima terça-feira dia 16 de janeiro, na Avenida de Elvas em Badajoz, uma das mais movimentadas da cidade, leva a alterações no trânsito na citada via, sendo cortado ao trânsito a faixa da direita no sentido Portugal, no troço de acesso ao Centro Comercial Conquistadores e rotunda de José Miguel Benegas Díaz.

Como alternativas, a Policía Local de Badajoz, informa que a circulação poderá ser feita pelas calles Castillo de Villalba e Castillo de Villagarcía Torres.
Fonte: Policía Local/Fotos: Emílio Moita



quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Portalegre – Desta vez não "febre do lenhador"


 Não se julgue que a febre do lenhador tomou conta das árvores do Jardim do Tarro em Portalegre, com a intervenção efetuada esta quinta-feira dia 11 de janeiro, e que visou o abate de uma árvore de grandes dimensões, da família dos choupos e que ameaçava cair para a via pública na zona do Tribunal.

Esta intervenção foi procedida pelos serviços da autarquia de análise fitossanitária, atestando a sua patologia e justificando do seu abate, de forma a evitar a sua eventual queda sobre pessoas e bens.

De referir que os jardins de Portalegre Tarro e Corredoura perderam muito do seu encanto e romantismo com as ainda hoje contestadas obras do programa Polis, obras essas que viraram os jardins do avesso e foram inauguradas pelo então primeiro-ministro, José Sócrates, que se deslocou a Portalegre, em 28 de julho de 2006, para inaugurar um conjunto de infra-estruturas e apadrinhar obras resultantes de intervenções que aconteceram um pouco por toda a cidade, no âmbito do programa Polis, iniciativa que lançou quando era ministro do Ambiente.

As obras do Polis, que representam um investimento global de 17,5 milhões de euros, chegam com nove meses de atraso e com um acréscimo de custos de 30 por cento face ao previsto inicialmente (mais 5,25 milhões de euros).

A presença de árvores no meio urbano nem sempre é pacífica ou do agrado de moradores, a pretexto de incómodos (como a queda da folha, fruto, pássaros ou sombra) sentidos com a proximidade do arvoredo, levando a que se encare frequentemente como um objeto descartável, desagradável, e sem utilidade, como se tem verificado em alguns arruamentos da cidade de Portalegre.

A presença de árvores no meio urbano é cada vez mais assumida como um fator determinante à garantia da saúde da Cidade, ultrapassando já, claramente, o clássico conceito de simples elemento estético.
Fotos: Emílio Moitas/Global News






terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Arronches - Alunos da Academia Sénior cantaram as Janeiras

Os alunos e dinamizadores da disciplina de Património da Academia Sénior de Arronches, voltaram a deslocar-se à Câmara Municipal e a algumas das instituições do concelho para Cantar as Janeiras e deixar votos de um feliz ano de 2018.
Esta iniciativa, que teve lugar no passado dia 5 de janeiro, começou pela Câmara Municipal, local onde foram recebidos pelo executivo camarário, e desejaram um próspero ano novo a toda a autarquia, seguindo-se um breve porto de honra.

Da Câmara municipal o cortejo seguiu para a Santa Casa da Misericórdia de Arronches, passando depois pela Unidade de Cuidados Continuados, terminando a sua actuação de dia nas instalações do Centro de Bem Estar Social de Arronches.
Fotos – Município de Arronches 

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Nisa - Apresentação do livro "Almaraz e outras coisas más

A apresentação do livro "Almaraz e outras coisas más”, de António Eloy, vai ter lugar na Taverna da Vila, junto castelo em Nisa, este sábado, dia 13, de janeiro, pelas 15h00.

Um livro que dedica um capítulo sobre mineração de urânio e os casos de Retortillo e Nisa e Urgeiriça.

As questões da sustentabilidade e da luta, que passa também por Nisa, pelo encerramento de Almaraz em Espanha, são temas que vão ser abordados no decorrer da tertúlia que se segue à apresentação do livro.

 De referir que nos dias a 20 e 21, de janeiro, vão ter lugar as “ Jornadas Pela Vida e Contra o Nuclear - Nos 40 anos do Festival”, em Ferrel (Peniche).

Organização é da Gazeta das Caldas e Movimento Ibérico Anti-nuclear, M.I.A. e PATRIMONIUM – Centro de Estudos e Defesa do Património da Região de Peniche